Por João Paulo Pucinelli – colaborador da Área Sociopolítica da CAJU

Com danças, cantos e alegria, aprendendo que tudo passa pelo corpo e nada existe fora dele, iniciamos a 1ª etapa da Oficina Juventude e Economia Solidária, no dia 13 de agosto de 2010, na Casa da Juventude Pe. Burnier. Este foi um primeiro encontro, de um processo de formação na temática da economia solidaria coordenado pela Área Sociopolítica da CAJU. A atividade aconteceu ao longo do final de semana e contou com a participação de 35 jovens de Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul- e Tocantins.

Nesse primeiro encontro, Rita Kalabiis nos ajudou a refletir sobre a economia que está posta no sistema neoliberal, e como a economia solidaria vem contrapor de forma revolucionária e contestadora a economia vigente. Percebemos que a economia solidária é uma prática assumida em diferentes lugares, por diferentes pessoas e é um dos pilares na construção de um outro mundo possível.

Em vários momentos fomos convocados/as a rezar a vida, nossos sonhos, paixões e bandeiras de luta. Retomamos no corpo a história do Povo de Israel, nossos pais e mães, retratada em Moisés ao descobrir o Deus Libertador, nas Mulheres que formaram coros de dança, cantando ao Deus da vida e nos contemporâneos de Jesus, que escutaram a parábola do patrão justo, que paga o mesmo salário a todos/as funcionários/as. Nessas celebrações sentimos o coração arder e o corpo convocar a missão de estar cada vez mais a serviço da vida e de outra economia que seja solidária.

No sábado à noite, nos encontramos na festa, lugar de antecipar a eternidade. As amizades, os sorrisos, as alegrias e a beleza estiveram presentes em todo o caminho, mas na despedida, de forma mais evidente, sobretudo no desejo do re-encontro na próxima etapa, onde mergulharemos cada vez mais nessa nova economia possível, urgente e necessária.